Grupo de Ensino, Pesquisa e Extensão de Formação Inicial e Permanente de Educadores de Crianças em Situação de Vulnerabilidade Social

Quem somos?

Um grupo de Estudos, trabalho e Pesquisa em Formação Inicial Permanente de profissionais envolvidos com a temática: Criança em Situação de Vulnerabilidade.

 

Histórico

Nasce da defesa da tese de doutorado concluída na UNICAMP, 2004, cujo tema tem como título “Trabalho Infantil Urbano”. A tese originou um projeto de pesquisa, um projeto extensão e um de ensino desenvolvidos na UFF – SSE – Departamento Sociedade, Educação e Conhecimento.

A primeira turma formada pela Drª Margareth foi no ano de 2009 onde 40 pessoas participaram do curso de extensão. No ano seguinte, cerca de 65 pessoas se inscreveram para participar do PIPAS. Este ano, o curso ultrapassou o limite de inscrição e alcançou a marca de 115 pessoas. Um avanço para o diálogo entre a educação e a proteção social no Brasil.

Após 6 anos de implementação desses projetos fundamos o presente grupo PIPAS. O projeto é responsável pelo curso Pedagogia Social que se encontra no seu 6º ano atendendo municípios, instituições e pessoas.

Nosso objetivo: Atender Gestores Educacionais e de Espaços Sócio Educativos; Pedagogos, Educadores Sociais, Assistentes Sociais, Psicólogos, Alunos, Professores, Coordenadores, Orientadores Educacionais e e profissionais envolvidos com a temática: Criança em  Situação de Vulnerabilidade Social.
Integrantes

Margareth Martins de Araújo (coordenadora)
Maria Lúcia Oliveira (vice-coordenadora)
Flávia Monteira Barros de Araújo (vice-coordenadora)
Alice Akemi Yamasaki
André Andrade Pereira
Carlos João Parada Filho
Mônica Bezerra de Menezes Picanço

Bolsistas

Elizabeth Jesus de Souza
Jamile Azevedo Silva
Juliana Ferreira dos Santos
Daniela de Oliveira Barros
Franciele Pinheiro Leite
Marilene Vianna
Márcia Marins
Paula RobertaSilva
Fernanda dos Santos Oliveira
Talita Christian
Francisca da Silva Brito Rodrigues
Maria de Fátima Brito e Silva
Cíntia Josina da Costa
Jussara Cândida Fontoura Filha
Pesquisas concluídas

 

Pesquisas em andamento
TRABALHO INFANTIL URBANO: MITOS E DESAFIOS

RESUMO: A presente pesquisa tem como tema o trabalho infantil urbano, diz respeito à organização das crianças trabalhadoras nos espaços onde desenvolvem suas funções e possíveis conseqüências na escola. O objetivo é detectar as expectativas dessas crianças em relação à escola e construir coletivamente – crianças, professores e pesquisadores- algumas contribuições para a escola, visando o sucesso escolar de alunos e professores. Portanto, questões como: disciplina, organização espacial, socialização, trabalho individual e solidário, administração financeira, formas de apreensão do mundo, como lidar com situações novas, e formas de aprendizagem, entre inúmeras outras. Procurando dar visibilidade à questão do trabalho infantil urbano, a explicitação da singularidade das crianças, bem como a possibilidade de construção de algumas das diferentes lógicas em jogo na negociação e destinos das crianças trabalhadoras, suas famílias e professores. O projeto se ancora na realidade escolar, cada vez mais presente de alunos que trabalham. Essa experiência produz saberes e informações capazes de auxiliar os professores da escola básica. Uma das alternativas possíveis é a proposta de análise desses saberes serem transformados em conteúdo pedagógico.

Palavras- chave: Educação, trabalho infantil, formação de professores
Bolsas: 04 bolsas Treinamento
Equipe: Ester da Silva Melo, Maria de Jesus Carvalho dos Santos Silva (in memoria), Paula Roberta Gomes da Silva, Josilene da Silva Gomes. (Alunas do Curso de Pedagogia),

PEDAGOGIA SOCIAL PARA O SÉCULO XXI: A Formação inicial e permanente de professores de crianças em situação de vulnerabilidade social.
RESUMO: Com inserção em escolas de Ensino Fundamental nos Municípios de Duque de Caxias, Magé, São Gonçalo, Niterói, Alcântara, Itaboraí e Maricá, passamos a fazer parte do processo pedagógico de cada uma delas, aprendemos com elas, sobre elas, seus professores e alunos. Construímos a partir do vivido, um Círculo de palestras com temas pertencentes à lista de necessidades por nós percebidas no interior das escolas. Contactamos os educadores, interessados e começamos nosso trabalho com um expressivo grupo composto por cento e cinqüenta participantes. Com o passar dos meses, o grupo foi ampliado contando também com a presença de gestores, assistentes social, psicólogos e cuidadores. A cada encontro um palestrante diferente, uma avaliação do trabalho com vistas ao replanejamento. Fomos aprendendo, aos poucos, sobre aquele grupo, suas necessidades e, principalmente, visualizamos os professores com os quais poderíamos contar. Formamos alianças, nos fortalecemos através da identificação com a temática trabalhada. O que fazemos hoje na FEUFF é fruto do trabalho coletivo, integrado de professores, alunos, da universidade e das escolas. Aprendemos com eles, por eles e para eles.

Palavras- chave: Educação, Formação de Professores, Pedagogia Social.
DIÁLOGOS FREIRIANOS: “Diálogos Freirianos: A formação continuada de professores que atuam junto as crianças exposta ao risco social.”

RESUMO: A partir da pesquisa realizada no Doutorado (UNICAMP – 2004), o trabalho infantil urbano, e em especial, o cotidiano de crianças expostas ao risco social, têm chamado minha atenção investigativa para que este público em especial obtenha o sucesso escolar. Investiguei, portanto, quais as possíveis ações pedagógicas capazes de subsidiar o sucesso dessas crianças e de seus respectivos professores. Percebemos ainda, de acordo com as notícias atuais que a economia do nosso país tem produzido cada vez mais desempregados, restando aos chefes de famílias das classes trabalhadoras o mercado informal ou ainda contar com o trabalho de filhos e esposas. Esta é a realidade vivida por grande parte da população brasileira trazendo cada vez mais novos desafios aos educadores que necessitam trabalhar com crianças em situação de risco ou limite. Nosso principal interesse se traduz em possibilitar aos professores uma gama de informação reflexiva sobre as demandas do trabalho junto a crianças em situação de risco social no sentido de oportunizar uma prática pedagógica inclusiva. Trabalhamos para o sucesso escolar de alunos e professores. Trabalhar na formação permanente do professor objetivando auxiliá-lo no desenvolvimento de suas funções junto à criança em situação de risco social ou limite. Esta se constitui em uma demanda crescente em nossas escolas.

PEDAGOGIA SOCIAL PARA O SÉCULO XXI: A Formação inicial e permanente de professores de crianças em situação de vulnerabilidade social

RESUMO:  Este é um Curso de Extensão que tem por finalidade instaurar um diálogo entre a escola e a formação de professores de crianças em situação de vulnerabilidade social. Historicamente no Brasil essas crianças vêm sendo desconsideradas, desprestigiadas e desprotegidas nas mais diversas instituições e, em especial, a educacional, onde prevalecem as formas de agir e de pensar que tem por base um paradigma que as exclui, pois compartilha de um entendimento afastado da realidade sobre o que vem a ser uma criança trabalhadora, seus familiares, suas formas de organização familiar, seus rituais de existência, seus textos e contextos. Frutos de uma ação dolosa de invisibilidade social, elas são as crianças pelas quais luto e trabalho há mais de três décadas, nos mais variados níveis de ensino. Ao longo desse período ficou evidente a necessidade da construção de um olhar para a formação de professores comprometidos com esta parcela da população brasileira que vem crescendo de forma assustadora, chegando à escola e obrigando-a a repesar- se. Nossa maior inquietação se traduz na possibilidade de investigar quais as formas de compreensão sobre as crianças em situação de vulnerabilidade social habitam o imaginário dos educadores, para com eles dialogar, ensinar e aprender sobre possibilidades de construção de outra prática, de outra escola, a partir de outra lógica para que ambos, educadores e educandos obtenham sucesso em suas ações.
O Curso de Extensão: “PEDAGOGIA SOCIAL PARA O SÉCULO XXI” é uma iniciativa do projeto: “Formação Inicial e Permanente de Professores de Crianças em Situação de Vulnerabilidade Social” (PRODOCÊNCIA – PROGRAD – UFF). Nossos objetivos são: Propor reflexões acerca da formação inicial e permanente de Professores de crianças em situação de vulnerabilidade social; Promover práticas educativas valorizadoras das experiências inclusivas das crianças em situação Incentivar a superação do mito da•de vulnerabilidade social; existência sobre as crianças em situação de vulnerabilidade social; Iniciar educadores e futuros educadores no processo de autoconhecimento, apontando e despertando para a importância fundamental do autoconhecimento do Ser nas práticas educativas inclusivas e humanizantes. O curso: “Pedagogia social para o Século XXI” pretende oferecer aos participantes a possibilidade de vivenciar a Pedagogia social para este século e a sua aplicação no cotidiano escolar. Durante os encontros contaremos com exposições orais, trabalhos individuais e em grupos, oficinas, védeos-debate, troca de experiências, semonários, dentre outras, através das quais os participantes serão convidados ao exercício reflexivo acerca da Pedagogia Social através do autoconhecimento, do exercício do conhecimento do outro e dos contextos em que se encontram, tendo a Pedagogia social para o século XXI como pano de fundo. O curso também oferecerá orientação bibliográfica e farta distribuição do ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente), que possibilitará a todos os participantes um posterior aprofundamento da temática Pedagogia Social para o século XXI.
Publicações

– Texto: “DIFERENTES PROFISSIOINAIS PARA DIFERENTES FUBÇÕES: o desafio de um fazer pedagógico integrado e voltado para a complexidade do cotidiano escolar.” – Revista Curriculistas – UFF.

– Texto: “Gestão e Alfabetização na escola pública: velhos poderes e novos saberes” – Margareth Martins de Araújo e João Baptista Bastos (in): ALFABETIZAÇÃO: REFLEXÕES SOBRE SABERES DOCENTES E SABERES DISCENTES. (Orgs.): Regina Leite Garcia e Edwiges Zaccur – Editora Cortez,

– Texto: “Crianças Trabalhadoras também tem direito à escola”, “Quem são e o que pensam as crianças trabalhadoras?” e “Crianças trabalhadoras, crianças resilientes.” (in): CONVERSAS SOBRE O LUGAR DA ESCOLA. (Orgs.) Regina Leite Garcia, carmem sanches sampaio, Maria Tereza G. Tavares. Ed. A Página/ Profeedições Grupalfa – IPP Comunicação Editora.

– Texto: “Tem Thalles, não tem Thalles: há muito mais entre alfabetização e letramento do que sonha nossa vâ filosofia.”. (Org.) Edwiges Zaccur. Editora Rocalle.

Contato

E-mails: uffpedagogiasocial@gmail.com

margarethmartins1@oi.com.br

Notícias

Seleção de professor(a) substituto(a) em EJA

O Departamento Sociedade, Educação e Conhecimento (SSE) da FEUFF está com processo seletivo aberto [...]

Prorrogadas as inscrições para o Workshop Interconexões: contação, literatura e arte nos primeiros anos. Aproveite!

Foram prorrogadas as inscrições para o Workshop Interconexões: contação, literatura e arte nos prim[...]

Consulta eleitoral para a Direção da FEUFF no quadriênio 2020-2024

A Comissão Eleitoral Local já divulgou o edital de consulta eleitoral para a Direção da Faculdade d[...]

Dislexia e educação: entendimentos, práticas e desdobramentos pedagógicos

Na próxima terça, 05/11, o Núcleo de Apoio à Extensão da Faculdade de Educação realizará, na sala P[...]

Relatos BioÁfricos na FEUFF, com Estevão Ribeiro

Ontem, 30/10, a FEUFF teve a oportunidade de receber, a convite do professor Fernando de Sá, o quadr[...]

Copyright 2019 - STI - Todos os direitos reservados

Translate »